PT | EN

Como será a economia após o Covid-19?

Publicado por: Multicargo em 4/mai/2020 23:27:58

Prevêem-se alterações inevitavelmente criadas pela Covid-19 o que levara a uma resposta com novas regras nas relações comerciais, nos hábitos de consumo e no peso do Estado frente ao mercado.

“A pandemia está a evidenciar, mais uma vez, a disfunção do euro, que coloca os países membros em uma camisa de força macroeconómica. A menos que a União Europeia possa reunir a vontade de se transformar em uma verdadeira união fiscal e política, a zona do euro começará a se separar”

 Prevê Paul Sheard, especialista principal do Centro de Negócios e Governo Mossavar-Rahmani na Escola Kennedy da Universidade Harvard.

Com a covid-19 veio também um dos maiores inimigos da atividade económica, a incerteza!

Segundo a Síntese Económica de Conjuntura do Grupo de Análise Económica do ISEG (Universidade de Lisboa) a variação do PIB em 2020 deverá ter uma quebra entre os -8,0% e -4,0%

De a acordo com o estudo da ISEG “A duração da fase mais restritiva necessária à contenção e controlo da epidemia será fator determinante da maior ou menor profundidade da crise económica no corrente ano. Para já, em termos de evolução trimestral, o trimestre em que se espera maior contração do produto é o 2º trimestre, após o que se projeta uma progressiva recuperação do produto, trimestre a trimestre, mas não se consideram muito prováveis crescimentos homólogos positivos até ao final do ano.”

 

Na Síntese de Conjuntura do ISEG analisam também o comportamento da  procura e oferta na economia Portuguesa após Covid19 defendendo que   “Em termos económicos, a atual crise começa por restrições de oferta que se irão transformar, muito rapidamente, devido ao desemprego e queda de rendimentos, numa crise de procura, que poderá ser mais ou menos profunda e duradoura consoante a política económica que venha a ser implementada para essa fase e a dinâmica de recuperação da confiança dos agentes económicos.”

A economia não será a única afectada pela Covid-19, a própria sociedade terá de repensar a sua forma de estar e se ajustar aos novos tempos. O medo e a incerteza irão deixar uma marca grande que resultará na procurara de  novas formas de interagir e suprimir as necessidades da sociedade, por consequência as empresas terão de se adaptar para serem capazes de dar resposta as novas formas de procura irão surgir.

SÍNTESE DE CONJUNTURA  ISEG

Autor: Multicargo

Tópicos: coronavirus, COVID-19, Portugal, Noticias